Cristina Troufa

Nasceu em Luanda, em 1978, repartiu a sua formação entre a licenciatura “Design – Tecnologia Cerâmica” pela ESAD-CR, e o mestrado de “Cerâmica Contemporânea” na Tama ArtUniversity, Tóquio com uma bolsa do Monbukagakusho. Estudou ainda “Design de Cerâmica e Vidro” na University of Central University of Central England, Birmingham. No seu desenvolvimento artístico dedicou grande parte do processo criativo à pesquisa e compreensão das possibilidades físicas e de significação do material cerâmico. 
No caminho percorrido no Japão surgiu uma nova relação com o mundo. O estudo da cerimónia do chá, intrinsecamente relacionado com a filosofia Zen e o Wabi-Sabi, abriram portas à colocação de questões relacionadas com a confrontação e aceitação da efemeridade da matéria escultórica. As suas instalações exploram cenários de relação conceptual e física entre o corpo humano e a escultura cerâmica. Por vezes é colocada a questão da dessacralização do objecto de arte, através da facilitação intencional da escultura. Nestas ocasiões é permitida a interacção entre a obra de arte e o público: como uma experiência individual, quando o público toca directamente na obra de arte, ou partilhada, quando as peças são tocadas por outros performers e apresentadas através da documentação em vídeo ou fotografia. Durante muito tempo a sua inspiração estética prendia-se a uma sensibilidade aquática já que passou grande parte da vida perto da costa ou em vários contextos insulares (Açores, Japão, Inglaterra). Recentemente, em residência artística, percorreu o Deserto da Namíbia, onde surge uma nova ramificação exploratória que conduz a sua inspiração para o vento, a aridez, e as superfícies rochosas.

2013 - “RE-COR-DAR” Galeria Palpura, Lisboa; 2012 - “Subjective Freedom”, 19 Karen Contemporary Artspace, Gold Coast; 2011 - “Cristina Troufa” Galeria Metamorfose, Porto; 2008 - Convento do Desagravo - Vila Pouca da Beira; 2006 - “ Traços de Portugal”, Casa Museu Soledade Malvar, Famalicão; 2005 - “Nós os Animais”, Galeria Abraço, Lisboa; 2004 - “Pintura Essencial”, Galeria Artela, Lisboa; 2003 - “V4”, Casa das Artes, Porto; 2002 - “Figurações”, Galeria Artela, Lisboa; 2001 - “7 Vezes Pecado”, Lousada Espaços das Artes Prémios 2010 – III Certame Internacional de Artes Plásticas “Aires de Córdoba”, 2009 - “6ª Bienal internacional de Arte Jovem de Vila Verde”, Vila Verde. 2007 – Bienal de Coruche, 3º Salão de Artes Plásticas, Coruche. 2004 – Apresentações Artísticas, Pavilhão de Exposições, Penafiel.